quinta-feira, 5 de maio de 2011

HOMENAGEM NA ARTIS X

Dando continuidade às boas práticas de anos anteriores, valorizando o contributo dos artistas senenses para o enriquecimento cultural do concelho, nas mais diversas áreas da criação e expressão artísticas, a ARTIS X e a Câmara Municipal de Seia distinguiram o escultor António Nogueira, no dia da abertura oficial, a 7 de Maio. O compositor Jaime Reis será homenageado a 21 de Maio, por ocasião do concerto com a Orquestra Filarmonia das Beiras.


A Vice-presidente da Câmara, Engª Cristina Sousa, entrega a António Nogueira uma lembrança da CMS.

O Presidente da Associação de Arte e Imagem de Seia, Luiz Morgadinho, entregou o troféu da ARTIS a António Nogueira


O escultor senense, agradecendo a homenagem. "Um importante incentivo para o meu trabalho", afirmou.


Coube-me apresentar o escultor senense, com as palavras que se seguem:


António Nogueira - Um Escultor senense em Montemor-o-Velho

Ao longo da última década, o escultor senense António Nogueira tem desenvolvido uma intensa atividade escultórica no centro do país, onde a sua obra pública se encontra particularmente representada. Na abertura oficial da ARTIS X, será destacado o seu contributo para as artes senenses e para a Escultura portuguesa actual.

A obra de António Nogueira desenvolve-se em duas vertentes. Uma, dominada pela pesquisa criativa de formas e de materiais, revela-se na fronteira do “figurativo” com o abstracto e cuja dimensão estética inspira sentidos plurais ancorados na realidade. Na outra vertente da sua obra, de inspiração realista, desenvolve sobretudo temas alegóricos e etnográficos, partindo de figuras representativas das práticas e manifestações mais tradicionais da cultura local e regional para alimentar e até renovar o imaginário popular. Estas homenagens poéticas, de cuidada composição de volumes e contido dinamismo de formas, caracterizam a sua obra pública.


António Nogueira - "Queijeira", 2008, Gouveia

Formado pela A.R.C.A. e com experiência técnica como escultor numa empresa de mármores em Alfarelos, na região que escolheu para viver e trabalhar, trabalha preferencialmente o mármore e a pedra calcária, que combina com o granito e betão em conjuntos de maior volume, como no Monumento ao Pescador da Praia da Leirosa, Monumento às Tecedeiras (Fioso, Crestuma), Peixeira da Praia da Leirosa, Homem dos Campos do Mondego (Montemor-o-Velho), Queijeira (Gouveia), Homem a Jardar (Gouveia), Moleiro da Gândara (Figueira da Foz), Monumento A Todas as Mães (Montemor-o-Velho), ou Mulher dos Enchidos (Quiaios).

António Manuel Marques Nogueira nasceu em Seia em 1967. Reside desde 1999 em Lavariz, Carapinheira – Montemor-o-Velho.
Licenciado em escultura pela A.R.C.A. em 1994. Durante o curso, exerceu a atividade de escultor na empresa Mármores do Centro, em Alfarelos. Participou num workshop de escultura em Montemor-o-Velho em 1998.
Entre 1995 e 1999, lecionou Educação Visual em várias escolas próximas de Montemor-o-Velho.


Autor de diversas esculturas e monumentos, entre os quais: imagem de São Silvestre (São Silvestre, 1999), Monumento ao Pescador da Praia da Leirosa (2000), Monumento às Tecedeiras (Fioso, Crestuma, 2001), Peixeira (Praia da Leirosa, 2003), Busto do Dr. Armando Gonçalves (Tentúgal, 2003), Homem dos Campos do Mondego (Rotunda da Carapinheira, EN 111, Montemor-o-Velho, 2004), Homem a Jardar (Gouveia, 2005), Moleiro (Moinhos da Gândara, Figueira da Foz, 2005), Pescador do Rio (Ereira), Bombeiro (Montemor), Gandaresa (Arazede), Monumento A Todas as Mães (Montemor-o-Velho, 2009), Queijeira (Gouveia, 2009), Mulher dos Enchidos (Quiaios, 2009).

Realizou exposições individuais no Hospital da Universidade de Coimbra (2002), Clube Médico de Coimbra (2006 e 2008) e na Carapinheira (2009). Participou em várias exposições coletivas de artes plásticas, no museu da Figueira da Foz (2003), na Casa Municipal da Cultura de Seia (2003), Casa da Cultura de Coimbra (2005), tendo também participado em várias edições da ARTIS desde 2004.

Apesar da crise – ou mesmo por causa dela, para acalentar a alma senense promovendo os valores locais – faria todo o sentido ter em Seia pelo menos uma obra de António Nogueira, erguendo-se numa das entradas da cidade ou recortando-se bucolicamente nos verdes de um dos seus vários espaços ajardinados. Pois a escultura, enquanto arte pública, representa e transmite os melhores sentimentos coletivos, servindo de símbolo unificador e inspirador de toda a coletividade.

MONUMENTOS PÚBLICOS


1999 - São Silvestre (São Silvestre)
2000 - Pescador (Praia da Leirosa)
2001 - Monumento às tecedeiras (Crestuma - V. N. Gaia)
2002 - Santa Luzia (Igreja de Lavos)
2003 - Peixeira (Praia da Leirosa)
2003 - Busto do Dr. Armando Gonçalves (Tentúgal)
2004 - Homem dos Campos do Mondego (Carapinheira)
2004 - Monumento do Club Rotary de Coimbra (Coimbra)
2005 - Varina (Freguesia de São Pedro - Figueira da Foz)
2005 - Moleiro (Freguesia de Moinhos da Gândara)
2006 - Homem dos Lanifícios (Gouveia)
2006 - Cópia de Coluna e Capitel Romano (Ruínas de Conímbriga)
2006 - Restauro do Cruzeiro do Alhastro (Carapinheira)
2007 - São Pedro (Igreja de Buarcos)
2007 - Gandaresa (Arazede)
2007 - Busto Maria Luísa Ruas (Gesteira)
2008 - Bombeiro (Montemor-oVelho)
2008 - São José (Carapinheira)
2008 - Queijeira (Gouveia)
2008 - Pescador no Dóri (São Pedro-Costa Lavos)
2009 - Monumento à Mãe (Montemor-o Velho)
2009 - Pescador do Bacalhau (Praia de Lavos)
2009 - Pescador do Rio Mondego (Ereira)
2009 - Mulher dos Enchidos (Quiaios)
2010 - Busto do Escuteiro Baden Powell (Carapinheira)
2010 - Monumento ao Idoso (Lar de Santo António - Figueira da Foz)
2011 - A Mondadeira (em execução – Abril 2011)


Blogue da ARTIS
Blogue Seia Portugal
Blogue Artes-Vivas

1 comentário:

var3tas disse...

Para quem quiser conhecer melhor o trabalho do António Nogueira aqui fica o seu site:

http://antonio-nogueira.pt.vu/